31.10.10

Noites amargas

Certa vez, na bela Califórnia, terra de terremotos e putarias, alguns brilhantes homens escreveram uma música chamada People are strange. Era uma banda de nome The Doors, cuja fama precede qualquer comentário banal que eu venha a expor aqui.

Creio que ao comporem essa música, eles viviam uma vida muito parecida com a minha. Se isso é um fato histórico ou não, não ligo. Detesto formalismos e pelo bem da minha escrita, defendo minha imaginação com unhas e dentes.

A verdade, companheiros, é que certas noites são amargas, principalmente quando somos ou estamos estranhos.

Há noites, e quanto a isso me refiro a madrugadas, em que meus vizinhos ouvem não só meus passos desfilando pelo longo corredor até meu apartamento, mas também outros passos. Lindos passos. Passos que se conjugam aos meus. Passos de saltos, de sapatos, de sandálias, que num trote dionísico, muito se assemelham a um samba rude de noite já alta, noite quase finda. São passos que acompanham um garoto atrevido. Mas eu sei que os vizinhos riem disso. É a lei da vida, ora!

Essas noites são doces como o mel das abelhas mais ordeiras. São tenras tal qual um manto de estrelas que cobrem dois amantes despropositados. Juro mesmo que são noites capazes de fazer cochilar o mais severo dos turrões.

Mas nem toda noite é assim.

Há noites em que não há escapatória. Somos estranhos e ninguém lembra o nosso nome. Women seem wicked.

Noites em que abrimos pesarosos o portão do prédio, pois nem mesmo o porteiro, o guardião da madrugada, ludibriou-se com nossas súplicas e ousou ter compaixão de nossa solidão.

Dirigimo-nos cabisbaixos ao elevador, onde um imenso espelho ri sadicamente de nossas falhas.

Deitamo-nos em camas grandes demais.

Adormecemos sem nenhum prazer nos lábios.

Abraçamos o vazio ao nosso lado.

Nossos narizes sentem falta de um perfume.

Essas não são noites doces e mágicas. Não há samba nem atrevimento. Não há riso nem contentamento.

Essas, meus companheiros, são noites amargas.

2 comentários:

L. disse...

Só pra complementar:

The Doors - End of the Night

Take the highway to the end of the night
End of the night
End of the night
Take a journey to the bright midnight
End of the night
End of the night

Realms of bliss
Realms of light
Some are born to sweet delight
Some are born to sweet delight
Some are born to the endless night

End of the night
End of the night
End of the night
End of the night


Um beijo! =]

Natália Oliveira disse...

Eu demoro pra voltar, e qd volto aqui me perguntei pq demorei tanto... Amei o texto, de verdade. Juro q te vi fazendo todo o trajeto, tipo filme, sabe? então...
Amei.