18.7.09

O gosto da saudade

O gosto da saudade tem gosto de Cotuba.

E tanto faz se é Cotuba, se é Arco-Íris, se é caçulinha ou o que seja, o importante é frisar: saudade tem gosto e é de Cotuba. Saudade gaseificada, doce, com aquele átimo de amargor teimoso, só a lembrar, "sou especial, sou única entre todas".

É a saudade da minha terra. Terra que, por não ser terra de fato, palpável, e nem dar o melhor guaraná (coisa que pertence ao norte), só pode me proporcionar uma saudade industrializada, com rótulo e código de barra, ingredientes e local de fabricação, data de validade e lote. Mesmo assim, é a melhor das saudades.

Cotuba é uma guaraná. Só existe na cidade em que cresci e, por mais estranho que pareça, pelo visto só é exportada para China e Japão, a julgar pelos arabescos emaranhados e confusos que lhe infestam o rótulo. Muito dificilmente verá uma Cotuba a lhe seduzir nas bonitas prateleiras do supermercado, nos outros cantos desse Brasil.

É a saudade que acompanha o almoço da mãe, e a saudade da própria mãe; é a saudade das brincadeiras na casa do vô, e a saudade da avó falecida, bem como do louro velho, mas ainda rodopiante; saudade de pai, que não cozinha bem, mas que faz o carinho correto; saudade dos amigos, de besteiras, de pizzarias. Só saudade.

Quantas pessoas no mundo podem dizer "eu consigo sentir o gosto da saudade". Poucas. A algumas é amarga, a outras, muito convém, doce noutras, insípida em muitos. Saudade é coisa a ser apreciada cuidosamente. De que outra maneira se daria valor às coisas? A saudade é o motor do apreço.

E se estiver, um dia quem sabe, leitor, passando pelo sertão riopretense, sente, descanse e aprecie sua saudade preferida ao sabor de Cotuba. A terra lhe agradece.

8 comentários:

Marina disse...

Aqui também tem um guaraná regional, mas é muito ruim. A saudade de Recife teria que ser dolorosa, ácida talvez, mas não ruim. Algo como colocar na boca aquele tamarindo azedo, ou uma pitomba ainda meio verde. Não sei, afinal ainda estou aqui.

A_for_Anetta disse...

Saudade de Cotuba, saudade de quando ficava na sua casa com você. Saudade da casa dos meus pais. Saudade também tem gosto de Esportivo, guaraná gostoso de Santa Bárbara. Atualmente minha saudade só tem gosto de guaraná Antártica ou Kuat...

Saudades de você!

Natália Oliveira disse...

EEEEiiii Araçatuba tb tem Cotuba! hahahah e meu cunhado, q é de Campinas, sempre que vem leva um fardinho embora pra casa dele....
Pra mim, o que tem MESMO gosto de saudade é funada de garrafa.. Puuuts... Lembro qd tinha uns 7 anos etomava funada no saquinho.. Ai, ai.

Bruna Mitrano disse...

Eu aqui aprendendo o que é Cotuba...
O que é saudade não preciso aprender. A palavra mais bonita da nossa língua portuguesa...

Bruna Mitrano disse...

Saudade de trocar garrafa de quaraná de vidro por pintinhos...isso não tem em qualquer lugar!

Lígia Silva disse...

Uau, fiquei com vontade de provar essa iguaria riopretense.
Minha saudade tem gosto de caldo da cana que crescia lá na chácara do meu avô. Há anos não vou lá!

Musica disse...

opaaaaaaaaaaaa atualizei o blog passsa lá bjuuuuu

Andréia Alves Pires disse...

o que lembra saudade aqui é o merenguinho em bloco e o sorvete feito com um troço que parece borracha e com o balão colado em cima, sabe qual?