28.11.07

3, 2, 1...

A faca serrou lentamente a carne macia como se estivesse deslizando pelo gelo. Espetando a parte cortada com o garfo, levei à boca o pedaço de animal morto saboroso. E aprovei seu sacrifício em alimentar-me.

Não muito distante do meu prato, um soco atingiu o rosto de alguém. O barulho abafado indicava que a carne batida não era tão macia quanto a carne agora em minha boca, talvez pelo fato de alguns ossos terem entrado na jogada também. Tirando a atenção do paladar e reforçando a audição e a visão, procurei o motivo da balbúrdia.

Um rapaz de estatura média e corpo atarracado era contido à força por outro rapaz, musculoso, que se encontrava no meio da briga. Separava o agressor (o contido) do agredido (que começava a se levantar, indignado com a agressão que sofrera).

A essa altura, muitos olhos já contemplavam a cena não corriqueira. Meu coração começou a bater aceleradamente e minhas extremidades formigaram. Oh não! Essa sensação de novo não! Como a odeio!!!

A briga arrefecera. O cara no meio dos dois brigões conseguira acalmar o ânimo exacerbado de ambos e agora cada um se encarava nervosamente de suas respectivas mesas. Seguranças velhos, barrigudos e baixinhos chegavam de todas as partes, apenas cercando o local da "briga". Uma nutricionista disponibilizou-se para mediar a paz. Após alguns minutos, só faltava os dois alterados se abraçarem e fazerem juras de amor eterno. Não fiquei sabendo do motivo da briga, embora ao menos tenha me interessado por ele.

Entretanto, minha sensação não passara. Como eu a odeio! E desde muito me acompanha. O que ela é? Jamais saberia explicar corretamente. É como um aviso. Um insistente aviso, que assobia alto em meu ouvido: "cuidado!". E a cada segundo aumenta mais seu volume, como se estivesse a predizer a explosão de uma bomba.

Por vezes, a sensação some e posso pensar que o mundo é um bom lugar para se viver. Porém, inconstantemente, a sensação volta e me diz: "está num barril de pólvora, isso tudo vai explodir a qualquer momento".

E essa tensão paranóica me atormenta, como que a indicar que algo grande e importante vai acontecer, e é bom eu estar precavido.

Sem alento, nada posso fazer para evitar esse choque espesso que me rodeia e altera as batidas do meu coração. Talvez o mundo esteja dentro de um funil, convergindo para uma estreita saída que mal sabemos onde pode dar. Talvez esteja acumulando um tremendo grau de violência, raiva, desprezo e ódio que, sem motivo aparente, perturbam-me as percepções. Ou talvez eu só esteja louco. Grandes probabilidades para todas as possibilidades.

Mas é bom que não ignoremos os sinais. Nada de bom pode acontecer no mundo mórbido que temos criado.

Só espero que essa bomba não exploda em minhas mãos. Ouçam!

5 comentários:

Ma Belle disse...

mais um dia de universitário...

nunca nossos almoços são iguais...

ah, o RU...

A_for_Anetta disse...

Pára tudo! Teve briga enquanto você almoçava??? Que loko! Sei la, acho legal ver brigas, é como se o ser humano voltasse ao estágio de naturalidade, o 'bom selvagem' não tão bom UAHAUHAUAA pq na verdade ser civilizado é só uma máscara pra esconder os verdadeiros instintos (UI).

Essa sensação de perigo só tenho quando enfrento minha mãe, parece q minha morte é iminete... UAHAUAHUAUA

=*********

Fadinha... disse...

ahhh
eu perdi isso!=P

"Só espero que essa bomba não exploda em minhas mãos."


axo q vc ta esquecendo da nossa querida lady, ne?!?!

EH LOGICO que vai explodir nas suas maos..
ou no maximo na minha... qndo vc tiver do meu lado!

=P

bjoo

¨*·.¸Monike¸.·*¨ disse...

Pode sim explodir em suas mãos, mas talvez não só nas suas... simultaneamente... e digamos que "eu sei" onde tudo isto vai dar... :)

Também sinto esta "alerta", mas em situações diferentes, e de modo diferente... eu fico gelada, tremo inteira, quase não enxergo a minha volta, minha respiração acelera... e me contenho, igualzinho! Mas ela ainda só foi acionado em alguns casos... e sim, aumenta cada vez mais...
Apenas tenha um bom almoço!
;*

Tyler Bazz disse...

Toda briga tem um gordinho... E alguem de fora que grita "pega ele, gordinho!"

o/