17.10.07

Saúde!


O sorrateiro e súbito vento carregado de poeira passa pelas minhas narinas, causando um sonoro e úmido:

- ATCHIM!

Estava num ponto de ônibus, onde a enxurrada, devidamente contida pela educação das minhas mãos (não quero contaminar ninguém), foi seguida de um robótico e aleatório:

- Saúde!
- Obrigado, respondi tão mecanicamente quanto.

Não falo amém pois não sou católico. Mas o "saúde!"...engraçada regra de etiqueta que rege a sociedade. Não é algo que se ensina na escola, e tampouco é um mantra de mães zelosas e rígidas nas casas. Muito menos a Globo veicula matérias em sua programação a respeito disso, mas todos, todos sabem que um espirro deve ser seguido de um educado "saúde!".

A própria idéia de que falar isso é um sinal de boa educação porta-se como fato excepcional. É difícil notar sinais de que as pessoas deliberadamente executam boas ações hoje em dia. Dar o lugar para os idosos sentarem no ônibus, ajudar alguém a carregar sacolas de compra, abrir a porta para alguém passar...muito pelo contrário, as pessoas na verdade deliberam contra isso: "Velho uma ova! Não tenho que dar lugar a ele!"; "Estou com pressa, ele que se vire para pegar outro elevador!", etc...

Apesar dessa má-educação consentida e praticada em larga escala pela civilizada sociedade brasileira, não há ninguém que resista a um espontâneo "SAÚDE!" após um espirro, barulhento ou não, tímido ou não, molhado ou não. Espirro é espirro. A pessoa franze o cenho, abre as narinas, a boca, puxa o ar e solta todos os microorganismos que tem direito. Espirro é espirro e saúde é saúde. Todos sabem disso, ninguém sabe direito como aprendeu a falar, mas todos dizem, quando necessário.

Essa atitude tão arraigada, entretanto, ninguém faz idéia de que era o próprio sinal da cruz surgido contra a pandemia mais violenta que assolou a humanidade no século XX.

Era a própria resignação perante a Gripe Espanhola (ou Assassina), a mãe da SARS, da Gripe Aviária, as potenciais grandes doenças do nosso contemporâneo mundo...

Naquela época, um espirro era provavelmente uma predestinação de morte. Tal qual hoje, mas com o ardor e a pena de alguém com dó de um provável defunto, ao contrário da mecanicidade dos cumprimentos formais aprendidos desde cedo por nós hoje em dia, dizia-se, educadamente, e por comoção: "SAÚDE!".

4 comentários:

karen disse...

eu acho que nunca falei 'saúde' pra um desconhecido...

Mandi disse...

Devia falar "doença", pq se a pessoa espirra é por que tá doente ou com imunidade fraca xD

Tyler Bazz disse...

Hj msm na rua uma menina, andando, espirrou... uma velha que passava andando também para o outro lado mandou o "saúde"... e a menina, já a uns 5 metros da velha, respondeu o "amém"...

E eu, que estava a 4 quarteirões andando atrás da menina só para admirar aquele belo exemplar de bunda, vi tudo! :D

Elder The Blue disse...

Elder diz (01:39):
haha
Elder diz (01:39):
eu acho "Saude" a coisa mais inutil do mundo
Elder diz (01:39):
as pessoas dizem "saude", ou "deus te crie!"
Elder diz (01:40):
só para te fazer se sentir melhor
Elder diz (01:40):
mas... isso já não funciona mais, mó bosta
Elder diz (01:40):
por isso que sempre que alguém espirra eu elogio a pessoa
Elder diz (01:40):
"ATCHIM!"
"opa, que belos olhos o seu"
"ai, nossa, brigada"
Rada diz (01:40):
haha, comenta isso lá
Elder diz (01:40):
isso sim faz as pessoas se sentirem melhores
Elder diz (01:40):
nao um "saude!"
Rada diz (01:40):
eu só me importo com os números de comentários

____
Vejam aí... ele só quer saber de comentários! Vocês aqui, assim como no orkut, não passam de números! Losers!