5.8.07

A tal da Lady

Hoje eu sinceramente pensei em escrever algo sobre sadismo feminino, uma característica tão presente nas mulheres de bem da nossa sociedade. Mas eu pensei, por que não ser mais abrangente? E eu vou fazer isso relatando as ocasiões que vivi com minha grande amiga Lady.

A Lady é uma mulher fantástica. Loiraça, maquiagem pesada, olhos azuis, vestido vermelho sensual, um corpo desses de fazer inveja às modelos (as que não possuem anorexia, lógico).

A Lady é uma dessas mulheres que aparecem quando a gente menos espera, sempre fatal. Dessas que com um simples olhar botam qualquer obstinação a se perder por completo num mundo paralelo ao nosso. Ah, Lady!

A Lady às vezes me deixa com cara de bobo, outro dia ela apareceu na minha frente e a fiquei encarando. Nisso, uma pomba sobre mim resolveu usar sua "bazuca anal", como diziam os Mamonas, na mosca!

Sem falar todas as vezes que a Lady me pega para conversar e me faz perder o ônibus, a hora, a aula, a carteira, a chave, a hora do remédio, esquecer o forno ligado e esse tipo de coisa.

Quando mais jovem, a Lady gostava de mexer com meu intestino, e bem nas horas erradas.

A Lady até estava presente quando a menina começou a falar do ex-namorado, mesmo percebendo que eu estava a fim dela. Ah, a Lady adora estar presente quando eu me ferro com as meninas!

Penso às vezes que a Lady é um anjo enviado por Deus, esse velho engraçadão que não fez a primeira série e por isso mesmo escreve as coisas em linhas tortas (ou vai ver a Tilibra não tem filial por lá...). Mas por que Deus me enviaria a Lady? O que ele quer fazendo essa linda senhorita me deixar todo atrapalhado e azarado?

Não sei se a Lady tem algum objetivo comigo. Talvez ela queira me tornar um desses protagonistas de filmes que começam a película todo nerds, losers e otários e acabam o filme dirigindo uma BMW e pegando uma gostosa. Talvez a Lady seja mesmo uma enviada.

Mas e se a Lady for coisa do demo? É bem capaz. Mas eu sempre pensei que o capeta fosse malvadão, tipo o Charles Bronson (Deus o tenha), e não um pregador de peças ao estilo de pegadinhas da TV.

O bebê mijando em mim, o molho do strogonoff caindo na minha camiseta branca, a questão errada na prova de Lógica, aquela alface no meio dos dentes e todo mundo vendo, o prato de arroz caindo da minha mão e indo se espatifar no chão, as pessoas sendo sádicas comigo. Para falar a verdade, em todas essas situações, lá estava a gostosa da Lady, com seu sorriso de dentes brancos e bem posicionados, soltando aquela gargalhada arrastada, lasciva, como quem tem um orgasmo só de me ver se dando mal.

Agora me fala, qual o seu problema comigo, Lady Murphy?

7 comentários:

Tyler Bazz disse...

Acho que não é bem a Lady quem tem problemas... aUAhuahAUhaUH

Fadinha... disse...

eh..
ela me persegue tb!

ainda n consegui descobrir se mais ou menos q vc.. a disputa da grande!=P

bem q podia ser verdade a parte do filme....
mas como estamos falando da minha vida. ou da sua.. tanto faz...

eh bem pouco provavel
\=

hahaha

bjao queridoooooooo
;**

Marina disse...

UHSAUISDBASUIDBASDIPAB
texto legal, criativo :)

MAILA disse...

nao gostei do final.
o resto é todo legal, mas aí o final com um trocadilho sem graça
;P
dasjdisjadoísjaoi´djsaoíjdsoa´ds

PRONTOCOMENTAY
;D

*: Victor

Marcello disse...

A Lady é a pessoa mais onipresente do mundo... certeza! Ela sempre está em todos os lugares haUEhuaehu

Capaz de logo ela aparecer por aqui... aliás, não sei como ela ainda não apareceu hoje ahauhuahuau


o/

Nina disse...

a Tilibra é em bauru;
e lá, o que mais se assemelha à Lady, hum... deixe-me ver.. é a mistura da minha classe.

Ju disse...

Sabe, eu acho que não existe Lady coisa nenhuma. É que as pessoas só prestam atenção quando as coisas dão errado.
Quando dão certo, ninguém tá nem aí.