2.8.07

Coming Soon to a Theater Near You


Filmes de terror para quê? Tem gente que gosta de gastar dinheiro para tomar um susto enorme no cinema ou tomar um sustinho em 29 polegadas em casa com o DVD. Eu não sou esse tipo de pessoa, mesmo porque filme de terror hoje em dia é uma bosta. E eu francamente gosto de filme que tenha enredo decente e tal...será isso pedir muito?

Mas mesmo que eu poupe meu rico dinheirinho evitando assistir os Gritos, as Samaras e as vozes do além, uma realidade de sustos não escapa ao meu imaginário no cotidiano. Ah não, pelo contrário...

Voltaire, o filósofo iluminista, criou em um de seus livros o personagem Pangloss, um intelectual que pregava com a maior convicção de que o mundo estava às mil maravilhas, que a realidade em que vivia era o "melhor dos mundos", por mais que tudo indicasse o contrário. Enfim, durante a narrativa, o Mestre Pangloss acaba sendo o que hoje chamaríamos de vítima da Lei de Murphy. Ele se ferra constantemente e, constrastando com isso, sempre está ele, com um sorriso nos lábios, a exclamar: "Esse é o melhor dos mundos!". Oh!

O ponto ao qual quero chegar é o seguinte: por mais que eu evite tomar susto por nada, ou por prazer, por mais que eu ache desnecessário infligir terror à minha mente enquanto o bolso de algum judeu produtor de cinema de Hollywood fica cada vez mais gordo, a vida anda superando em muito as telas e a ficção.

Que espírito, fantasma, ET ou monstro bizarro pode fazer frente ao horror que uma criança deve ter sentido quando se percebe presa a um cinto de segurança e começa a ser arrastada pelo asfalto durante 5 km? Ou mesmo o horror vivido por centenas de passageiros que notam a pista de pouso ir chegando ao fim e o avião não desacelerar? São casos emblemáticos, mas, e o horror que vive a todo instante muitos brasileiros vítimas de seqüestro, estupro, assalto, etc?

O mundo tem se tornado um filme de terror dos mais trashes e desagradáveis. Não me admira que atualmente filmes como Laranja Mecânica sejam taxados de banais e fracos.

Que pelo menos a pipoca seja boa nessa história.

3 comentários:

Marina, oras bolas. disse...

coisinha number one. what a pleasure.

não me admira que tenha ficado paralisada quando li o diálogo da tal caixa preta.
depois disso, ler spielberg em contatos imediatos do terceiro grau tem sido fácil. e olha que eu morro (morro mesmo) de medo de et...

Marcello disse...

Ah cara... por isso eu prefiro o Jigsaw, o Leatherface... prefiro ver ficção do que as merdas e tragédias todas que não param de acontecer xD

Tyler Bazz disse...

E esses filmes de terror, sem enredo, cheios de impossibilidades, são o quê? Só um jeito de fazer todo mundo esquecer o filme de terror que é a vida real...


OU, é só entretenimento barato.