7.7.07

Entre um gole e outro

Ultrapasso a precária cortina que separa o bar do banheiro. Levemente cambaleando, dou um safanão no interruptor de luz, acendendo a luz do banheiro. Os movimentos são ligeiros e lépidos, quase teatrais: bate-se a porta. Olha-se para o vaso. Abre-se o zíper. Mira-se. Mija-se. Guarda-se. Dá-se descarga. Sente-se calafrio na espinha. Fecha-se o zíper. Reabre-se a porta. Lava-se a mão. Volto à mesa.

Mesa...banheiro...álcool. Ocorre uma introspecção. A cena tem sido comum. A vida é nova, e traz essa situação mais que freqüente.

"És um universitário, não se preocupe, é exatamente isso que tem de fazer".

Esfrego os olhos na mão. Sexta, sábado, domingo, terça, quinta, sexta. E ainda terá sábado, domingo e terça que logo virão. "É só acabar as aulas e você enfia o pé na jaca dessa maneira? Cerveja custa dinheiro, rapaz".

"Que seja. É bom! Me anima."

"É sempre o que quis, não?"

Hum, mais de 50 postagens no blog. Momentos intimamente relacionados à minha vida. Está tudo ligado. Zaratustra tem me ajudado a presenciar e entender muitas coisas.

De um começo esperançoso, ligado à expectativa de passar na USP, à transformação completa de um menino bobo que sofria por causa de um namoro fracassado a alguém que tomava consciência, enfim, de uma vida nova e a vivia por completo. Esse é o trajeto que segue esse blog, por enquanto. É a linha vestibulares-mudança-fim de namoro-sofrimento-vida nova.

E tudo isso tem sido extremamente ótimo. O aprendizado e tal.

Esfrego as mãos nos olhos novamente. Comigo estão pessoas mais velhas, uns já terminaram o curso, outros ainda o fazem, sou o mais novo, sem dúvida. É um encontro de orkut, o orkontro. Ouço histórias divertidas, atentamente, não tenho lá muitas histórias para contar. Sou um "galho verde", mas sorrio atenciosamente.

No dia anterior, eram dois rapazes, rockeiros, amigos, num restaurante caro. No dia mais anterior ainda, mais pessoas de internet, numa boate "meio" gls. Ainda havia a festa do curso, ou ainda a festa caipira, tudo, todos, muitos. A variedade de opções e de modos de vida me faz regozijar: a vida é interessante.

"Não quero mais voltar a Rio Preto", digo a amigos em Londrina, casualmente. Encontro respaldo na voz de alguns, o que será que estarão vivendo para pensarem o mesmo? E pensar que alguns meses antes eu pensava em abandonar a pequena Londres e tentar USP de novo. Persistência. Coisa que só aprendi a ter agora.

Retiro a cerveja do suporte e aperto a campainha que alerta os garçons (coisas de Londrina). Não preciso verbalizar o desejo, a esperta garçonete já traz, sabiamente, a próxima cerveja, gelada, à mão, repondo nosso "combustível".

E no dia seguinte se acorda tarde. Boca seca, estranho cansaço, cabeça pesada, mas mente leve. As aulas acabaram, só resta uma prova, logo você estuda para ela, vai, agora simplesmente aproveite. Viva essa vida que você ganhou por mérito. O fígado agüenta, relaxa.

Essa vida que caiu em seu colo por graça.

E, revirando na cama, pensando que um abraço seria bem-vindo, penso que a vida é boa, porém cheia de desejos impertinentes.

Vai um gole?

2 comentários:

Ju disse...

Então quer dizer que você tirou seu lado de contador de histórias do fundo do armário?
Desculpa pelo sumiço!! Era pra ter passado aqui mais vezes.. mas a correria foi grande. E ainda nem entrei em férias.. mais uma prova e um trabalho muito chato pra entregar. Duas semanas de férias tá bom, né? Pra que querer mais... u.u
Bom, pelo jeito pelo menos você tá aproveitando.. i.i
Mas hein.. vou ver se apareço mais =)

Griet disse...

kk... o orkontro... pessoas mais velhas, galho verde... haha... me diverti a beça com esse seu post.

Vc tem muitas histórias pra contar sim, a gente sempre tem... vc talvez ainda não tenha muitas sobre festas de faculdade pq está aqui há apenas alguns meses, enquanto os que estavam na mesa com vc estão há anos... mas isso é só uma questão de tempo. Literalmente.

O mais engraçado, é que lendo esse seu post eu fiquei meio com saudade da minha faculdade... lembrando que quando eu aprontava todas e mais um pouco, eu jamais pensava que um dia ia ficar lembrndo disso e rindo, rs...

Bjos meu querido. Volte a SJRP, dê um bjo em seus familiares, e venha viver sua vida aqui de novo logo.