17.6.07

Forró

Escrever sobre forró ouvindo um cara porco gritar palavras incompreensíveis em gutural é uma tarefa divertida. De fato, essa tal de ecleticidade me surpreende.

Mas estou aqui para falar do tal forró. Todos sabem o que é "forró". Forró é aquele tipo musical dançante, geralmente associado a nordeste e a universitários.

Bem, nordestino eu não sou, apesar de uma pequena parte do meu sangue ser baiano, mas universitário sim (e eu não canso de me gabar por isso hehe), e é aí que o bicho pega, rapaz.

Forró é algo pior do que o Exército. Sir, yes, Sir!

Nisso eu me refiro à pressão social que esse simples estilo musical faz sobre os jovens.

Cenário: festa, pessoas, entrosamento, álcool. Típica cena da vida de qualquer adolescente. De repente, começa a tocar forró. Rapidamente, uma densa nuvem de obrigatoriedade desce sobre a mente dos meninos: VOCÊ TEM QUE ARRANJAR ALGUÉM PRA DANÇAR, SEU BOSTA!

Sim, vamos lá, Victor, chama aquela gatinha ali pra dançar, você já tem álcool suficiente no sangue para isso. Let´s go, boy.

- Oi, qual seu nome?
- Fulana (isso aconteceu faz tempo, por mais legal que eu seja, não sou capaz de lembrar o nome dela).
- Quer dançar?
- Tudo bem...

Eu não esperei ela responder, a puxei imediatamente, antes que uma negativa viesse. Caution´s everything. Mas...sugoi*! Ela respondeu que sim, nem tudo está perdido. Detalhe: ela é bonita.

Uma coisa interessante no forró é que todas as músicas são iguais. Pode ser que haja alguma diferença, mas sinto que é tudo a mesma merda. E dançar, então? Aquela coisa de "dois pra lá e dois pra cá" me dá vontade de dar uma voadera de dois pé no Carlinhos de Jesus. Que coisa manjada.

Devo ter pisado no pé da coitada algumas vezes. Vai ver é por isso ela não quis ficar comigo. Oh moça, se você não fosse tão estúpida certamente eu te mostraria que meu ponto forte não é a merda de uma dança sem graça, mas ok, estava bêbado o suficiente para me ofender por causa disso, e a deixei ir embora estampando um sorriso na cara. Um sorriso orgulhoso, de fato.

Forró, forró. Você é a pior das obrigações de um adolescente. Sua carga de obrigatoriedade implícita na melodia arrastada e nas letras porcamente românticas é apenas um pretexto para todos se esfregarem descaradamente. Não que isso seja ruim, pelo contrário, mas eu sou muito mais tango e lambada, muito mais sensuais. E tem até filmes próprios.

E que eu jamais volte a acreditar num forró na vida. Que universitário estranho sou eu!

*legal, em japonês

5 comentários:

paty disse...

vou te levar pro forró, broto

Vinícius disse...

Otaku maldito!!!

Vinícius disse...

Eu gosto de dançar apenas pela questão do contato pessoal. Particularmente não acho que danço de forma nada espetacular. Realmente, essa pressão existe mas eu sempre me pergunto: Por que devo ceder a qualquer pressão. É sempre bom se refletir sobre esse tipo de coisa por que, no fim das contas, nos leva a perceber quão relativa é a nossa pretensa liberdade.

Falando em exército, reza a lenda que é uma festa que foi introduzida pelos americanos quando estabeleceram bases militares no Brasil na época da Segunda Guerra Mundiam. E que o nome deriva de "For All" (Para Todos). Fica a título de curiosidade, por não ter chegado a ver essa definição em nenhuma enciclopédia ou algo do gênero.

maaaila disse...

ainda bem que por aqui
esse negocio de forró universitario nao eh mto ''aceito''

cena: baile de formatura, do 3º ano... musicas gauchas, forro, um gostosinho ensinando (ou tentando) a maila a dançar, 2 minutos depois minha desistencia... ;///
dsaldpsaldpálsd´psald´psald´sa
dsakposkadposakd[psakdpoaskp[ods

***: bom forró ;D

maaaila disse...

ainda bem que por aqui
esse negocio de forró universitario nao eh mto ''aceito''

cena: baile de formatura, do 3º ano... musicas gauchas, forro, um gostosinho ensinando (ou tentando) a maila a dançar, 2 minutos depois minha desistencia... ;///
dsaldpsaldpálsd´psald´psald´sa
dsakposkadposakd[psakdpoaskp[ods

***: bom forró ;D