26.1.07

A Maiêutica de um Baby Blog


Não me passou pela cabeça falar porque resolvi fazer esse blog. De fato, a idéia só surgiu quando fiquei quinze minutos olhando a tela branca do Postagens e me vi totalmente sem assunto.

Já imaginam que de repente surgiu uma lâmpada sobre o crânio deste que lhes escreve. E pensei: "por que não?". Mas a verdade mesmo é que nas férias fica tudo muito maçante e o tédio grassa. A saída é procurar algo óbvio para fazer.

Sempre me senti muito intimidado a expor uma idéia mais rebuscada para o público (e podem ter certeza de que as tenho!). Isso encontra suas raízes lá na minha criação e na minha camaleoa timidez, mas isso é matéria para outro post. Acontece que para vomitar as minhas idéias, como foi muito bem apresentado no meu perfil aqui, eu só possuía um fotolog - que todos sabem ser domínio da imagem e não do pensamento - e, portanto, impróprio para abraçar os meus neurônios.

A intimidação surgia, sobretudo, de comentários esdrúxulos, daqueles que escondem nas entrelinhas: "não li nada do que você escreveu, seu bosta, mas vou dizer qualquer coisa só porque você me encheu o saco para comentar". Enfim. Isso intimida e mostra quão abertas e aptas são as mentes dos meus companheiros.

Rebelei-me? Lógico que não. Segui as trilhas do comum, do enfastiado. Passei a postar coisas inúteis e etc e tal. O pior? Gostei da coisa. Fato é que do lado de lá há agora imagens e mensagens simples e do gosto juvenil - um eufemismo para idiota e banal.

Mas é lógico que não me contentaria apenas com essa situação de normalidade e, assim, comecei a procurar outras maneiras de dar vazão a esse vômito cultural que me alimenta as entranhas do cérebro.

A solução encontrada se apresentou diante dos meus olhos com o frisson causado pelos Blogs durante as eleições de 2006 e mesmo a repercussão que teve blogs internacionais atuantes em países onde vigoram ditaduras e coisas políticas afins que também serão matéria para futuros posts.

Mas eu só resolvi pôr em prática a idéia do Blog quando minha amiga Marina (ou Nina) me indicou alguns blogs para leitura. Uns interessantes, outros não. Enfim, aquela disposição de idéias que seus autores demonstravam me atraíram e me incitaram a parir o Zaratustra me Contou.

E tenho pegado gosto pela coisa. Ou estou errado, solitário blog que recebe minhas humildes palavras? Só tenho a ti para confiar meus pensamentos! E você que está lendo, você é um intruso. Mas eu o convido a comentar, pois hóspede é algo que me agrada, quando educado.

E foi assim que nasceu a idéia do Blog e o próprio. A origem do nome é explicada lá no Um novo começo... e vocês podem muito bem encadear a coisa toda sozinhos.

Assim falava o Blog.

6 comentários:

Victor the Stranger disse...

Maiêutica = parto

ana.liberty disse...

Muitas vezes sinto necessidade de expor minhas mirabolantes ideias, meus pensamentos malucos, e meus sentimentos mais estranhos, mas como duvido muito que alguém entenderia, pq muitas vezes nem eu entendo, prefiro coloca-los num papel e guardá-los num diario... Depois de algum tempo costumo lê-los mas eles nunca passam a fazer mais sentido, pelo contrario... Talvez falte um pouco de força de vontade da minha parte em fazer um blog, ou coragem de ler os comentarios depois... Enfim... Enquanto isso meu diario ganha algumas novas paginas.
Beijo! Amo vc =*

Eilahhh disse...

Bom... Eu sempre leio tudo que você escreve :P

Mas isso não é o assunto... É realmente interessante expor suas idéias e é claro que há o lado bom e o lado ruim... E vicia... E eu espero que consiga seu objetivo real com esse blog, ou pelo menos encontre um... E que ele dure e que eu pare de usar a conjunção e, ok?

Eu vou gostar de ler as coisas aqui... Fazem pensar ^^

o/// (ele aparece até aqui ^^)

marina ou nina disse...

completamente bebada
urrul

Victor the Stranger disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marina ou nina - sóbria disse...

como vc mesmo disse, há blogs interessantes, outros não.

esse se enquadra no primeiro tipo.

e eu adoro ser hóspede aqui e ler verborréias iluminadas.

beijo